CRIA logo

Competência 2 da redação do ENEM: escreva com propósito!

Compartilhe

A competência 2 da redação do ENEM avalia o entendimento da proposta, aplicação de conceitos e argumentos socioculturais. Veja como pontuar!

Na competência 2 da redação do ENEM avaliam-se 3 pontos principais: a compreensão da proposta de redação; a aplicação de conceitos e argumentos socioculturais. Assim, podem ser alusão histórica, citação de autoridade na área, fato social, dados estatísticos, filme, livro, etc.

Atingir a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é o que muitos candidatos almejam. Contudo, não se trata de uma tarefa fácil – pelo contrário, escrever um texto dissertativo-argumentativo de apenas 30 linhas pode ser um dos maiores desafios.

Mas como atingir a nota 1000 na redação? Para isso, é preciso entender os critérios de avaliação da redação do ENEM. De modo geral, eles baseiam-se nas cinco competências expressas na matriz do ENEM traduzidas para a situação específica de produção de texto.

Assim, o CRIA elaborou um guia para tratar da competência 2 da redação do ENEM e como atingir a nota máxima nesse critério. Continue conosco e boa leitura.

competencia 2 da redacao do enem
O ENEM estabelece uma maneira de correção das redações que se divide em cinco competências – Foto: CRIA.

Quais são as competências avaliadas na redação do ENEM?

O exame de redação do ENEM é projetado para avaliar 5 habilidades de escrita dos candidatos. Como resultado, a matriz de competências do ENEM foi modificada para avaliar o desempenho do participante na criação de um texto que demonstre sua capacidade de refletir sobre o assunto proposto.

Desse modo, essa reflexão começa pela leitura dos textos que compõem a proposta, combinada com a leitura da realidade

Então, há o compromisso de que os temas abordem problemas políticos, sociais, culturais ou científicos, desde que sejam apresentados como situações-problema para as quais o autor do texto deverá propor soluções, respeitando os direitos humanos.

Sendo assim, as competências avaliadas pelo ENEM são:

Competência
1Domínio da escrita formal da Língua Portuguesa
2Compreender o tema e não fugir do que é proposto
3Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista
4Conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação
5Respeito aos direitos humanos

Você também pode se interessar por:

Qual é a competência 2 da redação do ENEM?

Segundo o Portal no Ministério da Educação, a competência 2 da redação do ENEM é:

“Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.”

Assim, avalia as habilidades integradas de leitura e de escrita do candidato. O tema constitui o núcleo das ideias sobre as quais a redação deve ser organizada e é caracterizado por ser uma delimitação de um assunto mais abrangente.

Além disso, pode se dividir em seis níveis de desempenho: 

Pontuação:Condição:
200Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, baseado em um repertório sociocultural produtivo, e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo.
160Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão.

120Desenvolve o tema por meio de argumentação previsível e apresenta domínio mediano do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão.
80Desenvolve o tema recorrendo à cópia de trechos dos textos motivadores ou apresenta domínio insuficiente do texto dissertativo-argumentativo, não atendendo à estrutura com proposição, argumentação e conclusão.
40Apresenta o assunto, tangenciando o tema, ou demonstra domínio precário do texto dissertativo-argumentativo, com traços constantes de outros tipos textuais.
0Fuga ao tema/não atendimento à estrutura dissertativo-argumentativa. Nestes casos a redação recebe nota zero e é anulada.

O que avalia a competência 2 da redação do ENEM?

A Competência 2 da redação do ENEM avalia a capacidade do participante em compreender, interpretar e aplicar conhecimentos para desenvolver o tema proposto de forma consistente, demonstrando conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção argumentativa.

Em outras palavras, essa competência analisa a habilidade do candidato em utilizar recursos linguísticos e argumentativos para desenvolver o tema da redação de maneira eficaz.

Compreensão da proposta de redação:

O primeiro ponto principal de avaliação é a compreensão da proposta de redação, que geralmente tem como tema um eixo político, social, científico ou cultural. É de extrema importância que os candidatos compreendam a proposta dentro do contexto apresentado.

Em geral, as propostas são sobre assuntos que acontecem no Brasil. Então, o primeiro aspecto a ter relevância é que o candidato deverá apresentar argumentos que ocorrem no país.

Além disso, o estudante deve apresentar um repertório sociocultural envolvendo músicas, filmes, citações de filósofos ou pensadores, dados estatísticos, entre outros.

O segundo aspecto importante é identificar o tema central. Por exemplo, temos a proposta do ano de 2016 que foi: “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, que apresenta como tema central a intolerância religiosa.

Por último e mais importante, é compreender o que se pede na proposta de redação, nesse caso, são os caminhos para combater tal problema. Dessa forma, o candidato poderá organizar melhor sua redação e não arriscará tangenciar o tema – ou seja, apenas dissertar de forma ampla, esquecendo-se de especificar o que o tema da redação se refere.

Argumentação:

O segundo ponto principal avaliado é a aplicação de conceitos e argumentos de diversas áreas de conhecimento, que podem ser utilizados como suporte para os argumentos selecionados sobre o tema e que sustente a tese apresentada.

Com isso, um aspecto importante é o repertório sociocultural: o conhecimento que o candidato possui sobre vários assuntos, tais como filosofia, sociologia, história, política, economia, saúde, dentre outros.

Para isso, consideram-se e avaliam-se as habilidades de leitura e escrita dos candidatos. Tais habilidades têm um papel muito importante na produção de escrita da redação.

Afinal, a partir de uma vivência de leitura, os participantes do exame se tornam capazes de produzir uma redação com argumentos que sustentam a tese apresentada, trazendo consigo informações que envolvem outras áreas de conhecimento.

Estrutura do texto dissertativo-argumentativo:

O último ponto avaliado é a estrutura do texto dissertativo-argumentativo, que exige do candidato não apenas uma exposição de fatos sobre o tema proposto, como é exigido no tipo textual expositivo, mas também a apresentação de argumentos e ideias consistentes.

Em outras palavras, a produção do aluno precisa apresentar as 3 partes do texto dissertativo-argumentativo: introdução, desenvolvimento e conclusão. Para a produção da redação do ENEM, geralmente, o participante produz quatro parágrafos, pois é uma forma mais organizada de dar conta do que é avaliado pelo INEP.

Dessa forma, espera-se que o participante apresente uma introdução, dois parágrafos de desenvolvimento, em que discute os dois aspectos que já deve ter sido apresentado na introdução, e a conclusão com a proposta de intervenção.

O que estudar para a competência 2 da redação do ENEM?

A preparação para a redação do ENEM demanda não apenas a compreensão das particularidades do gênero textual exigido, mas também um foco na Competência 2.

Assim, para mandar bem na redação do ENEM, confira algumas dicas do que estudar para gabaritar essa competêcia:

competencia 2 da redacao do enem
O hábito da leitura diária, a prática da escrita e a busca de informações relevantes presentes nos acontecimentos do nosso paíséde suma importância, pois os temas cobrados no ENEM são baseados em tais acontecimentos – Foto: CRIA.

1. Leitura e interpretação de textos:

Pratique a habilidade de compreensão e interpretação de textos diversos, uma vez que a redação muitas vezes exige a análise de diferentes perspectivas sobre um tema.

2. Gênero textual dissertativo-argumentativo:

Familiarize-se com as características desse gênero textual, compreendendo a estrutura típica de uma redação dissertativo-argumentativa.

3. Desenvolvimento do tema:

Entenda como desenvolver um tema de maneira abrangente e consistente, apresentando uma tese clara e argumentos que a sustentem.

Quais os erros mais comuns na Competência 2 da redação do ENEM?

Diante desse cenário desafiador, a Competência 2 se destaca como uma área na qual muitos estudantes enfrentam dificuldades.

Com o intuito de aprimorar o desempenho dos candidatos, é essencial identificar e compreender os erros mais comuns nessa competência, desvendando os obstáculos que podem comprometer o alcance de uma redação sólida e bem elaborada.

Entao, confira abaixo os erros mais comuns na competência 2 da redação do ENEM:

1. Tangenciamento do tema da redação:

O tangenciamento do tema na redação ocorre quando o candidato do texto não aborda diretamente ou se afasta significativamente do tema proposto.

Em vez de tratar do assunto central de forma precisa, o participante aborda questões periféricas, faz digressões ou apresenta argumentos que não estão diretamente relacionados ao tópico principal.

Desse modo, esse problema pode prejudicar a pontuação do candidato, pois a capacidade de desenvolver o tema de maneira clara e coerente é um dos critérios de avaliação em exames como o ENEM.

2. Desvio do tipo textual pedido pelo ENEM:

O desvio do tipo textual, no contexto do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), ocorre quando o participante não atende às características específicas do tipo textual solicitado para a redação.

Assim, o ENEM geralmente pede um texto dissertativo-argumentativo, e desviar desse tipo textual implica em não seguir a estrutura e as características esperadas desse gênero.

3. Desenvolvimento insuficiente da redação:

O desenvolvimento insuficiente da redação no ENEM é uma questão que pode impactar negativamente a pontuação final do participante. Nesse sentido, uma boa redação não apenas apresenta uma tese clara, mas também desenvolve argumentos de forma consistente e aprofundada.

4. Erros de repertório na redação do ENEM:

Os “erros de repertório” referem-se a deficiências relacionadas ao conhecimento de fatos, informações ou exemplos que poderiam enriquecer a argumentação ou embasar melhor as ideias apresentadas na redação do ENEM.

Assim, falta de repertório pode prejudicar a qualidade da redação, pois evidencia limitações no conhecimento do candidato sobre o tema abordado.

Além disso, existem outros erros de repertório comuns, por exemplo: repertório improdutivo, repertório não legitimado e repertório que não pertencente ao tema.

Exemplo de redação nota máxima na Competência 2 do ENEM:

No contexto do ENEM, a Competência 2 desempenha um papel crucial, exigindo não apenas a compreensão aprofundada do tema proposto, mas também a habilidade de construir uma argumentação sólida e consistente.

Para ilustrar, vamos observar a redação nota mil da aluna Nicole Carvalho Almeida disponibilizada pelo INEP:

Introdução:

No Brasil, o Artigo 1º da Constituição Federal de 1988 delibera a garantia da cidadania e da integridade da pessoa humana como fundamento para a instituição do Estado Democrático de Direito, no qual deve-se assegurar o bem-estar coletivo. No entanto, hodiernamente, não há o cumprimento efetivo dessa premissa para a totalidade dos cidadãos, haja vista os empecilhos no que tange à valorização de comunidades e povos tradicionais no país. Nesse viés, torna-se essencial analisar duas vertentes relacionadas à problemática: a inferiorização desses grupos bem como a perspectiva do mercado nacional.

Desenvolvimento 1:

Sob esse prisma, é primordial destacar a discriminação contra esses indivíduos no Brasil. Nesse sentido, de acordo com o sociólogo canadense Erving Goffman, o estigma caracteriza-se por atributos profundamente depreciativos estabelecidos pelo meio social. Nesse contexto, observa-se a maneira como os povos tradicionais, a exemplo dos quilombolas e dos ciganos, sofrem a estigmatização na sociedade brasileira, pois são, muitas vezes, considerados sujeitos sem utilidade para o crescimento econômico do país, uma vez que as práticas de subsistência são comuns nessas comunidades. Dessa forma, ocorre a marginalização desses grupos, fato o qual os distancia da valorização no país.

Desenvolvimento 2:

Outrossim, é relevante ressaltar a perspectiva mercadológica brasileira como fator agravante dessa realidade. Nessa conjuntura, segundo a obra “O Capital”, escrita pelos filósofos economistas Karl Marx e Friedrich Engels, o capitalismo prioriza a lucratividade em detrimento de valores. Nesse cenário, diversas empresas, no Brasil, estruturadas em base capitalista, atuam a partir de mecanismos de financiamento e apoio às legislações que incentivam a exploração de territórios ambientais habitados por povos tradicionais, como a região amazônica, sem levar em consideração a defesa da sociobiodiversidade nessas comunidades. Desse modo, há a manutenção de ações as quais visam somente ao lucro no mercado corporativo e são coniventes com processos de apropriação bem como de desvalorização dos nichos sociais de populações tradicionais no país.

Conclusão:

Portanto, são necessárias intervenções capazes de fomentar a valorização desses indivíduos na sociedade brasileira. Para tanto, cabe ao Ministério da Educação promover a mudança das concepções discriminatórias contra as comunidades tradicionais, por meio da realização de palestras periódicas nas escolas, ministradas por sociólogos e antropólogos, as quais conscientizem os sujeitos acerca da importância desses povos para o país, a fim de minimizar o preconceito nesse âmbito. Além disso, é dever do Ministério da Economia impor sanções às empresas que explorem os territórios habitados por essas comunidades, com o intuito de desestimular tais ações. A partir dessas medidas, a desvalorização das populações tradicionais poderá ser superada no Brasil.

Aprimore sua escrita com o CRIA

Agora que você conferiu a lista de 10 filmes para estudar nas férias, é hora de praticar. Com isso, o CRIA pode te ajudar. Mas o que é o CRIA?

Projetado para ser um corretor de redações baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, o CRIA é uma ferramenta útil e simples de utilizar.

Assim, ele utiliza modelos de aprendizado de máquina gerados por meio de redações escritas por alunos reais e corrigidas por professores.

Então, através do modelo, o CRIA realiza a correção das redações seguindo os parâmetros gerais cobrados por diversos vestibulares.

correcao do cria
Agora o CRIA corrige suas redações de todos os vestibulares – Foto: CRIA.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.
O CRIA, uma ferramenta de correção de redações com inteligência artificial, te ajuda a praticar para o ENEM — Vídeo: Reprodução.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, você pode escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos sua redação do ENEM estará corrigida conforme as 5 competências do ENEM.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Foto: CRIA.

A quem o CRIA se destina?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes

como e a redacao da uft

Como é a redação da UFT 2024/2?

A redação da UFT segue o padrão comum de muitos vestibulares, solicitando aos candidatos que produzam um texto dissertativo-argumentativo. A avaliação é baseada em cinco competências específicas, conforme detalhado no edital da instituição.

Leia mais »