CRIA logo

Como usar a nota do ENEM? 5 maneiras

Compartilhe

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é a maior prova do Brasil, responsável por possibilitar a entrada de muitos estudantes ao ensino superior. Mas você sabia que existem outras possibilidades? Entender como usar a nota do ENEM pode abrir portas inesperadas.

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) foi criado pelo governo federal do Brasil em 1998, para avaliar o desempenho dos alunos após a conclusão da educação básica.

Assim, durante mais de 10 anos, este exame foi usado apenas para avaliar as habilidades e competências dos concluintes do ensino médio, sem o objetivo de selecionar os candidatos para o ensino superior.

Entretanto, em 2009, com a criação do SiSU (Sistema de Seleção Unificado), o exame passou por mudanças, sendo mais exigente e com o formato de 180 questões. Já a redação se manteve, sempre no formato de dissertação argumentativa.

A partir dessa primeira alteração, outras foram incluídas até hoje, sendo até possível utilizar a nota do ENEM para entrar em instituições de ensino superior no exterior. Desse modo, confira todas as possibilidades de como usar a nota do ENEM com o CRIA. Boa leitura.

como usar a nota do enem
Existem diversas maneiras de como utilizar a nota do ENEM para entrar em universidades até mesmo do exterior — Fonte: Pexels.

5 maneiras de como usar a nota do ENEM

O discurso oficial do governo afirmou que a mobilidade acadêmica e a reorganização dos currículos do ensino médio foram impulsionadas pela adoção do ENEM/Sisu. Então, isso possibilitou a democratização ao acesso às vagas nas instituições de ensino superior.

Desse modo, a nota do ENEM pode ser a chave para abrir portas em diversas áreas da vida acadêmica e profissional. Desse modo, conheça as principais formas de como usar a nota do ENEM para alcançar seus objetivos.

1. Inscrição em universidades públicas com o SiSU

O Sistema de Seleção Unificada, também conhecido como SiSU, é um sistema informatizado administrado pelo governo federal do Brasil. Assim, ele facilita o ingresso em instituições de ensino superior públicas, como universidades e institutos federais.

O Ministério da Educação (MEC) é quem administra o SiSU. Esse programa permite que os estudantes se candidatem a cursos de graduação oferecidos por instituições de ensino superior públicas em todo o país.

A grande vantagem desse programa é a possibilidade de mobilidade dos alunos para instituições de ensino superior em várias partes do país. Assim, alunos de regiões menos desenvolvidas podem se deslocar para regiões mais desenvolvidas.

Vale lembrar que o candidato que deseja de inscrever no programa precisa ter feito a última edição do exame e ter obtido nota superior a 450 pontos.

2. Financiamento estudantil com o FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil, também conhecido como FIES, é um programa do governo federal do Brasil. Então, ele oferece financiamento para estudantes que desejam cursar o ensino superior em instituições de ensino privadas.

Esse programa foi criado para ajudar os estudantes que não possuem condições de pagar as mensalidades de universidades particulares a ter acesso à educação superior.

Para se inscrever, os candidatos devem ter feito alguma edição do ENEM a partir de 2010. Além disso, obter uma pontuação média igual ou superior a 450 pontos e não ter zerado a redação. Outro ponto importante é que a renda familiar não deve ultrapassar a três salários mínimos.

3. Bolsas de estudos em universidade privadas por meio do ProUni

O Programa Universidade para Todos, mais conhecido como ProUni, é um programa do governo federal do Brasil que visa facilitar o acesso de alunos de famílias de baixa renda a instituições de ensino superior privadas.

Desse modo, o programa oferece bolsas de estudo integrais ou parciais, cobrindo uma parte ou todas as mensalidades de cursos de graduação em faculdades e universidades privadas.

Assim como os demais programas governamentais, o candidato precisa ter obtido pelo menos 450 pontos e não ter zerado na redação. Entretanto, cada instituição divulga suas notas de corte, sendo maiores ou menores a depender do curso escolhido.

4. Estudar no exterior

Aqueles que desejam buscar uma educação superior em outro país podem estudar fora do Brasil com uma nota do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). No entanto, o processo requer pesquisa e planejamento cuidadosos.

Países como França, Irlanda, Estados Unidos e Reino Unido são alguns dos países que aceitam a nota do exame. Entretanto, existem alguns requisitos, como Ensino Médio, passaporte e teste de proficiência em inglês.

A dica é entender como funciona cada processo seletivo da instituição desejada, já que cada uma delas pode solicitar documentações diferenciadas, como a tradução de documentos.

5. Estudar em Portugal

Cada vez mais estudantes brasileiros que buscam uma educação superior internacional estão interessados em estudar em Portugal com uma nota do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

Assim, a possibilidade de usar os resultados do ENEM como critério de admissão em universidades portuguesas facilitou o acesso a instituições educacionais de primeira linha em todo o continente europeu.

O ENEM Portugal é um acordo entre as universidades portuguesas e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Esse acordo prevê uma facilitação na entrada de brasileiros sem cidadania europeia a adentrar nas universidades do país.

Assim como as demais instituições brasileiras, cada uma exige uma pontuação a depender do curso. Então, é necessário que o candidato verifique as especificidades de cada uma delas.

Você também pode se interessar por:

Como mandar bem na prova do ENEM?

Escrever bons textos requer uma compreensão profunda da estrutura de um texto, bem como dos elementos do gênero e do repertório sociocultural. Assim, o ENEM foi criado para avaliar não apenas a habilidade escrita de milhares de alunos, mas também suas habilidades de raciocínio lógico.

Para desenvolver essas habilidades de escrita, além de utilizar recursos linguísticos como conectivos essenciais para redação, é precisa ter planejamento e muito treino. Então, confira 10 dicas de como melhorar na redação do ENEM:

  1. Tenha um planejamento de estudos;
  2. Leia com frequência;
  3. Domine a gramática;
  4. Esteja por dentro das notícias e atualidades;
  5. Conheça a estrutura da redação do ENEM;
  6. Saiba quais são as competências cobradas na redação;
  7. Treine muito a redação;
  8. Aprenda com seus erros;
  9. Estude as redações nota mil
  10. Tenha um checklist de elementos essenciais

Como utilizar o CRIA nos seus estudos?

Agora que você já entendeu como usar a nota do ENEM, pode se dedicar aos estudos. Com isso, o CRIA pode te ajudar. Mas como?

Projetado para ser um corretor de redações baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, o CRIA é uma ferramenta útil e simples de ser utilizada.

Assim, ele usa modelos de aprendizado de máquina gerados por meio de redações escritas por alunos reais e corrigidas por professores.

Através do modelo, o CRIA realiza previsões de notas por competência, análise de contexto na introdução, previsão de defesa de tese, previsão de fuga ao tema, previsão de intervenção, uso de parônimas e homônimas, etc.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, basta escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos, sua redação do ENEM estará corrigida de acordo com as 5 competências do exame.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Fonte: CRIA.

A quem o CRIA é destinado?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes

como e a redacao da uft

Como é a redação da UFT 2024/2?

A redação da UFT segue o padrão comum de muitos vestibulares, solicitando aos candidatos que produzam um texto dissertativo-argumentativo. A avaliação é baseada em cinco competências específicas, conforme detalhado no edital da instituição.

Leia mais »