CRIA logo

Repertório sociocultural sobre capacitismo: confira aqui!

Compartilhe

O capacitismo é a discriminação e o preconceito direcionado a pessoas com deficiência ou transtornos. Construa repertório sociocultural aqui!

Mandar bem na redação é o que todo estudante deseja. Assim, ter um repertório completo e cheio de referências é essencial. Com isso em mente, é necessário conhecer e criar repertório sociocultural sobre capacitismo, compreendendo como ele afeta milhões de pessoas no mundo.

Capacitismo é o preconceito que se faz a respeito de pessoas com deficiência, assumindo que a deficiência destas é algo que, naturalmente, as define como menos capazes.

Então, para desenvolver uma boa redação, seja do ENEM ou de outros vestibulares, dominar o repertório sociocultural sobre capacitismo é essencial. Ou seja, conseguir analisar as crenças, preconceitos e desigualdades que permeiam a sociedade em relação às pessoas com deficiência.

Parece muito complexo? Deixa que o CRIA te ajuda a entender esse conceito e como desenvolver um bom repertório sociocultural sobre capacitismo. Continue conosco e boa leitura.

repertorio sociocultural sobre capacitismo
O capacitismo é o preconceito com pessoas com deficiência (PcD), tratando-as como incapazes e cria barreiras físicas que as impedem de fazer certas coisas de forma independente – Foto: Pexels.

O que é capacitismo?

Capacitismo é uma forma de preconceito ou discriminação que se baseia na suposição de que pessoas com deficiência são inferiores ou menos capazes do que aquelas sem deficiência.

Além disso, o capacitismo pode se manifestar de várias maneiras, incluindo atitudes negativas, estereótipos, exclusão social, falta de acessibilidade e discriminação no emprego, entre outros aspectos da vida cotidiana.

Nesse sentido, pode levar à marginalização e à negação de oportunidades para pessoas com deficiência, além de perpetuar esteriótipos prejudiciais.

Cabe ressaltar que, o capacitismo geralmente surge em situações sutis, causado pela repetição de um senso comum que associa a pessoa com deficiência (PcD) a uma variedade de estigmas socialmente construídos aos quais está acostumado e, portanto, é raramente percebido ou questionado.

Por outro lado, quando o capacitismo é óbvio e visível, ele declara outra coisa. Isso demonstra como o preconceito ainda é naturalizado como algo aceitável ou inevitável. Diferentes pessoas com deficiência geralmente têm essas experiências recorrentes, em graus diferentes.

Você também pode se interessar por:

O que é repertório sociocultural?

O repertório sociocultural é uma coleção de informações, experiências, valores, crenças e práticas compartilhadas por membros de uma sociedade ou grupo social.

Desse modo, esse repertório é adquirido e construído ao longo da vida por meio das interações com a família, escola, mídia, amigos, religião e outros grupos sociais.

Então, inclui uma ampla gama de elementos, como tradições culturais, normas sociais, costumes, mitos, rituais, histórias, idioma, música, arte, literatura e muito mais.

Além disso, influencia profundamente a maneira como os indivíduos percebem o mundo ao seu redor, interpretam eventos, se comportam e se relacionam com os outros.

5 filmes de repertório sociocultural sobre capacitismo

O capacitismo, uma forma de preconceito enraizada na suposição de que as pessoas com deficiência são inerentemente menos capazes do que aquelas sem deficiência, continua a moldar as interações sociais e a estruturação de espaços físicos em nossa sociedade.

Desse modo, ao subjugar e desvalorizar as capacidades das pessoas com deficiência, o capacitismo não apenas perpetua estereótipos prejudiciais, mas também estabelece barreiras físicas e emocionais que limitam sua autonomia e inclusão.

Para compreender melhor essa problemática, confira abaixo 5 filmes que retaratam a vida de pessoas com deficiência (PcD) para te ajudar com o repertório sociocultural sobre capacitismo:

1. “Extraordinário”

O filme conta a história de August Pullman, um menino com uma deformidade facial que nasceu e decide ir à escola pela primeira vez após anos de cirurgias.

Assim, o filme aborda questões como aceitação, empatia, amizade e superação enquanto acompanha a jornada de August e como ele enfrenta as dificuldades de ser diferente em um ambiente escolar.

Onde assistir? Netflix.

2. “Intocáveis”

A história gira em torno da amizade inesperada entre Driss, um jovem imigrante senegaleso contratado como cuidador de Philippe, um homem rico que ficou tetraplégico depois de um acidente de parapente.

Então, com seu jeito despojado e irreverente, Driss traz um novo ânimo para a vida de Philippe, ajudando-o a superar seus próprios limites emocionais e redescobrir o prazer nas coisas simples da vida.

Onde assistir? Prime Video.

3. “A teoria de tudo”

É um filme biográfico baseado no livro de Jane Wilde Hawking “Travelling to Infinity: My Life with Stephen”, o filme retrata a vida do físico teórico renomado Stephen Hawking. Assim, o foco principal do filme é o relacionamento de Hawking com sua primeira esposa, Jane Wilde.

Além disso, o relacionamento se estende desde sua infância estudando física na Universidade de Cambridge até as dificuldades que enfrentou após ser diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA).

Onde assistir? Globo Play.

4. “CODA – No Ritmo do Coração”

“CODA” é uma sigla que significa “Child of Deaf Adults” (Filho de Adultos Surdos, em português). Assim, o filme conta a história de Ruby Rossi, uma adolescente que é a única pessoa ouvinte em uma família de quatro membros surdos, incluindo seus pais e seu irmão mais velho.

Ruby é muito talentosa como cantora e se esforça para conciliar sua paixão pela música com suas responsabilidades familiares, já que ela é a principal intérprete de língua de sinais para seus pais.

Onde assistir? Prime Video.

5. “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”

O filme conta a história de Leonardo, um adolescente cego que vive com sua mãe. Sua vida muda quando um novo aluno, Gabriel, se junta à sua escola e se torna seu amigo e, eventualmente, seu interesse romântico.

Além disso, explora o despertar da sexualidade e do amor de Leonardo, bem como sua jornada de autoaceitação e descoberta de sua identidade. Assim, o filme aborda temas como amizade, inclusão, diversidade e aceitação, com foco especial na experiência de uma pessoa cega na adolescência.

Onde assistir? Netflix.

6. Como eu era antes de você

“Como Eu Era Antes de Você” é uma adaptação do livro homônimo escrito por Jojo Moyes. Assim, o filme, assim como o livro, conta a história de Louisa, uma jovem alegre que se torna cuidadora de Will, um homem rico e bem-sucedido que foi tetraplégico por um acidente.

Então, o filme aborda temas como amor, amizade, aceitação e o direito de escolha de cada indivíduo sobre sua própria vida. Além disso, recebeu críticas mistas, mas muitos elogiaram as performances dos atores principais e a maneira como o filme lidou com questões emocionais delicadas.

Onde assistir? Globoplay

Dados sobre capacitismo no Brasil

Conforme levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mesmo após 32 anos de vigência da Lei de Cotas para PCDs, apenas 2,5% das vagas nas empresas com mais de 1 mil empregados eram destinadas a este grupo em 2021 (pela Lei, deveriam ser pelo menos 5%).

Segundo o Dieese, houve um crescimento de 61% da inserção de PCDs no mercado de trabalho formal entre 2011 e 2021, passando de 324 mil para 521 mil trabalhadores. Estes profissionais estão concentrados na indústria (25%) e no comércio (20%).

Além disso, em 2023 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, pela primeira vez, um módulo com dados específicos sobre pessoas com deficiência na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a PNAD Contínua.

Nesse sentido, o estudo mostra que a população de dois anos ou mais com deficiência é de 18,2 milhões de pessoas. Além disso, a taxa de analfabetismo entre pessoas com deficiência é de 19,5%, enquanto a de pessoas sem deficiência é de 4%. 

Como combater o capacitismo?

Um esforço contínuo e coletivo para aumentar a conscientização, an inclusão e an igualdade de oportunidades para pessoas com deficiência é necessário para combater o capacitismo.

Segundo o SAE Digital, para compater o capacitismo, é necessário reformular a noção de normalidade, livrar-se dos padrões que alimentam o preconceito e a discriminação. Além disso, reconhecer que todos somos diferentes em alguns aspectos, mas que isso não deve ser um critério para excluí-lo.

Política Nacional de Educação Especial, na Perspectiva da Educação Inclusiva, pretende justamente assegurar a inclusão escolar de alunos com deficiência e garantir o acesso ao ensino regular.

Além disso, garantir que espaços públicos, serviços e recursos estejam acessíveis para pessoas com diferentes tipos de deficiência. Isso inclui acesso físico, como rampas e elevadores, bem como acesso a comunicação, como interpretação em língua de sinais e materiais em formatos acessíveis.

De modo geral, existem muitas inciativas, tanto educacionais, de acessibilidade que auxiliam a combater o estigma.

Repertório sociocultural no ENEM

A Cartilha do participante do ENEM deixa claro que os repertórios socioculturais devem ser pertinentes e utilizados de modo produtivo na dissertação, além de serem usados de forma verídica e de serem facilmente identificados, aceitos socialmente.

Além disso, umas das cinco competências do ENEM, trata melhor sobre o assunto.

Assim, nessa competência, a II solicita que o aluno esteja apto a compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento, além de suas vivências para desenvolver o tema em uma estrutura prototípica apropriada.

Nesse contexto, o estudante precisará respeitar a estrutura da introdução (com a apresentação/ problematização do tema com as devidas teses explicitadas), do desenvolvimento (defesa do ponto de vista por meio de argumentos fundamentados em áreas diversas do conhecimento).

Por fim, a conclusão (retomada da tese e criação de proposta de intervenção aplicável e inovadora), que costumam constituir um texto de quatro ou cinco parágrafos, e criação de título (facultativo).

Aprimore sua escrita com o CRIA

Agora que você conferiu repertório sociocultural sobre capacitismo, é hora de praticar. Com isso, o CRIA pode te ajudar. Mas o que é o CRIA?

Projetado para ser um corretor de redações baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, o CRIA é uma ferramenta útil e simples de utilizar.

Assim, ele utiliza modelos de aprendizado de máquina gerados por meio de redações escritas por alunos reais e corrigidas por professores.

Então, através do modelo, o CRIA realiza a correção das redações seguindo os parâmetros gerais cobrados por diversos vestibulares.

correcao do cria
Agora o CRIA corrige suas redações de todos os vestibulares – Foto: CRIA.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.
O CRIA, uma ferramenta de correção de redações com inteligência artificial, te ajuda a praticar para o ENEM — Vídeo: Reprodução.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, você pode escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos sua redação do ENEM estará corrigida conforme as 5 competências do ENEM.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Foto: CRIA.

A quem o CRIA se destina?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes

como e a redacao da uft

Como é a redação da UFT 2024/2?

A redação da UFT segue o padrão comum de muitos vestibulares, solicitando aos candidatos que produzam um texto dissertativo-argumentativo. A avaliação é baseada em cinco competências específicas, conforme detalhado no edital da instituição.

Leia mais »