CRIA logo

10 palavras mais comuns de errar na redação

Compartilhe

Ficar em dúvida para escrever algumas palavras é normal, e acontece com muitos. Por isso, listamos as 10 palavras mais comuns de errar na redação.

Você já teve dificuldades para encontrar as palavras certas ao escrever uma redação? Você não está sozinho. Escrever uma redação pode ser um desafio e tanto. Por isso, compreender quais são as palavras mais comuns de errar na redação é essencial para evitar erros.

Escrever corretamente ajuda a transmitir suas ideias de maneira clara e compreensível. Assim, erros gramaticais e ortográficos podem prejudicar o significado de suas palavras, dificultando a compreensão por parte do leitor.

Por isso, evitar essas armadilhas e aumentar a clareza e a eficácia de suas redações pode gerar um resultado muito positivo. Ao compreender o uso correto dessas palavras, você poderá comunicar suas ideias de forma mais eficaz, evitar erros gramaticais e criar uma redação polida e profissional.

Portanto, se estiver pronto para elevar o nível de sua redação, vamos mergulhar no mundo das palavras comumente mal utilizadas e aprender a usá-las corretamente. Venha com o CRIA e boa leitura.

palavras mais comuns de errar na redacao
Evitar esses erros comuns contribui para uma redação mais precisa e compreensível – Foto: Pexels.

Conheça as 10 palavras mais comuns de errar na redação:

Se você é estudante, já deve ter se deparado com a seguinte situação: Como é escreve essa palavra mesmo? Com ss ou ç?

Essas dúvidas são muito comuns, visto que nem sempre nos lembramos de como escrever corretamente uma palavra ou expressão. Pensando nisso, o CRIA elaborou essa lista com 10 palavras mais comuns de errar na redação.

1. “Aonde” e “onde”:

“Aonde” indica movimento em direção a algum lugar, enquanto “onde” é usado para indicar situação ou lugar em que algo está. Uma dica de ouro é lembrar que o “A” antes de “onde” pode servir como “Para”. Ou seja, “aonde” possui o mesmo efeito de “para onde”.

Exemplo: “Aonde você vai?” vs. “Onde você está?”

Você também pode se interessar por:

2. Ao invés de e em vez de:

Ambas as expressões indicam oposição, mas são usadas em contextos diferentes. “Ao invés de” é usado quando há uma escolha oposta, enquanto “em vez de” é usado para indicar substituição.

Exemplo: “Fui ao cinema ao invés de estudar” vs. “Fui ao cinema em vez de estudar”.

3. “Mas” e “mais”:

Essas palavras têm pronúncias semelhantes, mas significados diferentes. “Mas” é uma conjunção adversativa, enquanto “mais” é um advérbio de quantidade.

Exemplo: “Eu quero mais comida, mas estou cheio.”

4. “A fim de” e “afim de”:

A expressão “a fim de” significa com a finalidade de, enquanto “afim de” indica afinidade.

Exemplo: “Estudamos a fim de aprender” vs. “Somos afins em nossos interesses.”

5. “A princípio” e “em princípio”:

“A princípio” significa inicialmente, enquanto “em princípio” indica uma ideia teórica.

Exemplo: “A princípio, achei que era fácil” vs. “Em princípio, concordo com você.”

6. “Iminente” e “eminente”:

“Imi​nente” significa que algo está prestes a acontecer, enquanto “eminente” refere-se a algo que é proeminente ou notável.

Exemplo: “Perigo iminente” vs. “Uma pessoa eminente na área da ciência.”

7. “Ratificar” e “retificar”:

“Ratificar” significa confirmar ou validar algo, enquanto “retificar” significa corrigir ou ajustar.

Exemplo: “O presidente vai ratificar o acordo” vs. “Preciso retificar meu erro.”

8. “Descriminar” e “discriminar”:

“Descriminar” significa absolver de crime, enquanto “discriminar” refere-se a fazer distinções, muitas vezes de forma injusta.

Exemplo: “A lei pode descriminar algumas ações” vs. “Não devemos discriminar pessoas com base em sua aparência.”

9. “Cessão” e “seção”:

“Cessão” refere-se à transferência de algo, como direitos, enquanto “seção” é uma subdivisão ou parte de algo maior.

Exemplo: “Cessão de direitos autorais” vs. “Vamos à seção de eletrônicos.”

10. “Prescindir” e “preceder”:

“Prescindir” significa dispensar ou renunciar, enquanto “preceder” indica vir antes em ordem ou tempo.

Exemplo: “Prefiro não prescindir desse luxo” vs. “A palestra precederá o evento principal.”

Quantas palavras posso errar na redação?

O número de palavras que você pode errar em uma redação pode variar conforme o contexto, a instituição ou o propósito da escrita. Em muitos casos, não há um número exato de erros permitidos, mas a qualidade da redação é avaliada como um todo.

Entretanto, concursos e exames como o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e demais vestibulares, há critérios específicos para a pontuação conforme a quantidade de erros.

Um bom exemplo é a redação do ENEM, que disponibiliza aos candidatos as 5 competências utilizadas para determinar como deve ser uma boa redação para alcançar os mil pontos.

Na primeira competência, o candidato deve apresentar linguagem clara, coerente e adequada à situação comunicativa em que está inserido. Portanto, ele deve usar as normas gramaticais e ortográficas da língua portuguesa da maneira correta.

Para atender a essa competência, é importante que o estudante domine as regras gramaticais, como concordância verbal e nominal, regência verbal e nominal, pontuação, entre outras. E por que isso é importante?

Conhecer a gramática pode auxiliar o estudante a organizar suas ideias de forma mais precisa e eficiente, tornando o texto mais claro e objetivo. Também pode ser vista como uma ferramenta que auxilia o estudante a estruturar sua escrita e, assim, o ajuda a apresentar suas ideias de forma clara, organizada e coesa.

Erros ortográficos podem anular uma redação?

A resposta é simples: não, os erros ortográficos não podem anular ou zerar uma redação.

Perfeição ortográfica é essencial ao escrever uma redação? Ou pequenos erros podem derrubar a sua nota? A precisão na escrita é um aspecto muitas vezes negligenciado, mas que pode fazer toda a diferença na qualidade do seu texto.

Além de comprometer a estética do texto, os erros ortográficos podem transmitir uma falta de cuidado a banca corretora. E para avaliadores e professores, esse descuido reflete na pontuação final.

Entretanto, engana-se quem pensa que apenas os erros mais óbvios, como trocar letras ou omitir acentos, podem afetar um texto. Desse modo, erros gramaticais e de sintaxe também são prejudiciais, pois atrapalham a fluidez e a coerência do texto.

Porém, a redação será anulada apenas de for inlegível ou incompreensível. Assim, erros pontuais podem diminuir a nota final da redação, mas não de fato anula-lá ou zerá-la.

Por que uma boa ortografia é importante?

A ortografia precisa desempenha um papel fundamental na qualidade e eficácia da escrita. Então, erros de grafia podem comprometer a credibilidade do autor, a clareza da mensagem e até mesmo o desempenho acadêmico.

Ao escrever uma redação, é essencial dedicar tempo e esforço para garantir que a ortografia esteja correta. Desse modo, usar ferramentas de correção ortográfica, praticar regularmente e revisar cuidadosamente o texto são medidas que podem ajudar a melhorar suas habilidades ortográficas e evitar erros.

Portanto, lembre-se sempre de que a precisão na escrita é um aspecto valioso que merece atenção e cuidado. Nesse sentido, ao escrever um texto, certifique-se de que sua ortografia esteja o mais correta possível.

Dicas de como detectar erros ortográficos em sua redação

Identificar erros ortográficos em sua própria escrita pode ser um desafio, principalmente quando você está muito familiarizado com o texto. Assim, aqui estão algumas estratégias que podem ajudar:

  1. Faça uma pausa antes de revisar: ao revisar seu texto, tire um tempo para se afastar dele. Isso ajudará você a ver o texto com olhos frescos e aumentará suas chances de identificar erros;
  2. Leia o texto em voz alta: ler o texto em voz alta pode ajudar a identificar erros ortográficos que podem passar despercebidos ao ler silenciosamente. Assim, a leitura em voz alta também pode ajudar a avaliar a fluidez e a coerência do texto;
  3. Peça a outra pessoa para revisar: ter outra pessoa revisando seu texto pode oferecer uma perspectiva diferente e ajudar a identificar erros que você pode ter perdido. Então, um par de olhos extras sempre ajuda.

Aprimore sua escrita com o CRIA

Agora que você já aprendeu o passo a passo de como parar de procrastinar nos estudos, o CRIA pode ser a ferramenta ideal para esse processo. Mas o que é o CRIA?

Projetado para ser um corretor de redações baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, o CRIA é uma ferramenta útil e simples de utilizar.

Assim, ele utiliza modelos de aprendizado de máquina gerados por meio de redações escritas por alunos reais e corrigidas por professores.

Através do modelo, o CRIA realiza previsões de notas por competência, análise de contexto na introdução, previsão de defesa de tese, previsão de fuga ao tema, previsão de intervenção, uso de parônimas e homônimas, etc.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.
O CRIA, uma ferramenta de correção de redações com inteligência artificial, te ajuda a praticar para o ENEM — Vídeo: Reprodução.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, você pode escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos sua redação do ENEM estará corrigida conforme as 5 competências do ENEM.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Foto: CRIA.

A quem o CRIA se destina?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes