CRIA logo

Como lidar com a ansiedade para o ENEM? 7 dicas!

Compartilhe

Muitos estudantes enfrentam a ansiedade na preparação para os vestibulares. Por isso, preparamos dicas de como lidar com a ansiedade para o ENEM.

Segundo a OMS, em 2019 o Brasil lidera o ranking de país mais ansioso do mundo. Esse transtorno acomete principalmente jovens entre 18 e 24 anos. Com índices tão altos, é essencial aprender a como lidar com a ansiedade para o ENEM e demais provas vestibulares.

Uma das fases mais marcantes na vida de um adolescente é o ensino médio, nas quais as expectativas, sonhos e a realidade se misturam. A preparação para a vida adulta, que envolve muita pressão, julgamento e autocrítica, acontecem justamente nos últimos anos da escola.

Um problema que assola milhões de estudantes e que está se tornando cada vez mais comum, acarretam problemas de saúde como a ansiedade. Além disso, devido à grande quantidade de conteúdo exigido no dia da prova, esses alunos geralmente adotam rotinas de estudo exaustivas.

A fase de preparação é difícil devido à crença de que os melhores são os únicos a receber aprovação. Assim, isso é combinado com preocupação com concorrência e cobrança pessoal e social. Nesse sentido, entender como lidar com a ansiedade para o ENEM pode ser um grande desafio.

Entretanto, existem algumas dicas de podem ajudar a lidar com a ansiedade antes da prova. Assim, confira algumas dicas de como lidar com a ansiedade para o ENEM que o CRIA preparou. Boa leitura!

como lidar com a ansiedade para o enem
Os candidatos podem enfrentar dificuldades físicas e emocionais, incluindo ansiedade, durante o período de preparação para exames como o vestibular – Fonte: Pexels.

O que é ansiedade?

A ansiedade é uma resposta emocional normal e adaptativa que todos experimentam em determinadas circunstâncias. Ela faz parte da nossa resposta ao estresse e pode ser vista como um meio de alerta, para que possamos lidar com ameaças percebidas.

Assim, a ansiedade leva a uma série de reações físicas e psicológicas que preparam o corpo para uma situação de perigo. Entretanto, quando esse sentimento ou outros sintomas persistem, sem motivos aparentes, pode se configurar como um Transtorno de Ansiedade.

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM – IV):

Os transtornos de ansiedade incluem transtornos que compartilham características de medo e ansiedade excessivos e perturbações comportamentais relacionados. Medo é a resposta emocional a ameaça iminente real ou percebida, enquanto ansiedade é a antecipação de ameaça futura.”

Ou seja, quando essa resposta natural a estímulos externos começam a atrapalhar a vida, a rotina e o sono, é necessário buscar ajuda psicológica.

Você pode se interessar por:

5 dicas de como lidar com a ansiedade para o ENEM

A maioria de nós está familiarizada com a ansiedade, especialmente em situações difíceis como o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Assim, a ansiedade, principalmente quando associada à pressão de passar no ENEM, pode nos fazer sentir cada vez mais ansiosos, o que pode afetar nosso desempenho e nosso bem-estar durante o exame.

Segundo Lins e Viana, no artigo “Vestibular e as repercussões associadas à ansiedade dos candidatos” de 2016:

“Após analisar os níveis de ansiedade dos estudantes pré-universitários, verificou-se que a ansiedade desses indivíduos aumenta gradativamente conforme a data da prova se aproxima. Esta característica repercutiu ainda em fatores secundários, tais como, qualidade do sono e hábitos que interferem negativamente em sua saúde, dentre outros, a ingestão de substâncias de forma negligente.”

Desse modo, ter algumas estratégias para manter a calma nesse momento é essencial. Então, confira algumas dicas de como lidar com a ansiedade para o ENEM:

1. Prepare-se adequadamente

Estar bem preparado para o exame é um fator de alta importância, pois com o aumento contínuo da concorrência é necessário mais tempo de estudo para ingressar em um curso superior de qualidade.

Assim, estar bem preparado pode elevar a autoestima do candidato e sua autoconfiança, diminuindo, então, a sua ansiedade.

2. Tenha uma rotina de sono:

O sono é essencial para manter a concentração e a capacidade de raciocínio, além de ser importante para consolidar a memória e as informações aprendidas. Além disso, isso vale para sonecas ao longo do dia.

A soneca pode ajudar a relaxar e recarregar a energia, além de ajudar a aumentar o foco e manter a memória dos conteúdos que você estudou recentemente. Então, tirar aquele cochilo antes da prova pode ser mais produtivo do que revisar.

3. Faça exercícios físicos:

O exercício físico possui diversos benefícios fisiológicos, como: o aumento no transporte de oxigênio para o cérebro, a síntese e a degradação de neurotransmissores, liberação de serotonina e diminuição da viscosidade sanguínea.

Além disso, ocorre a diminuição da ansiedade, melhora da autoestima e cognição, e redução do stress. Então, exercícios mais intensos podem aliviar a tensão que os candidatos ansiosos carregam consigo.

4. Faça um cronograma de estudos:

O cronograma e os planos de estudo se concentram no planejamento estratégico para atingir as metas. Assim, essa prática pode alcançar bons resultados, sendo métodos de fácil aplicação e visualização.

Cabe ressaltar que ele deve ser realista, já que uma rotina muito exaustiva de estudos pode piorar a ansiedade. Então, o intuito do cronograma é organizar o tempo de estudo de acordo com os conteúdos necessários para a prova.

5. Treine com simulados:

Os simulados são importantes para você entender quanto tempo leva para realizar a prova, já que esta é uma grande questão no dia do exame.

Assim, cronometre a realização das provas anteriores do ENEM e verifique se há necessidade de aumentar o ritmo. Além disso, não se esqueça de treinar a redação, já que, em média, o ideal é utilizar no máximo cinquenta minutos para elaborá-la.

6. Tire um tempo para você:

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que 86% da população brasileira tem algum tipo de transtorno mental, incluindo depressão, ansiedade, fobias e transtornos de personalidade. Por isso, cuidar da saúde mental é vital.

Com uma vida agitada, pode ser difícil equilibrar tudo e ainda tirar um tempinho para você. Entretanto, o bem-estar geral depende de uma boa saúde mental. Assim, desligue o celular, saia das telas e faça algo que você goste.

7. Descanse antes da prova:

Caso você não tenha conseguido estudar muito em sua preparação, pode parecer uma boa ideia revisar tudo antes da prova. Entretanto, há grandes chances de aumentar a ansiedade nesse momento.

Além disso, perder noites de sono pode prejudicar, e muito, o desempenho na hora da prova. Então, a dica é: descanse.

Palavra da especialista

A partir dessas dicas, podemos pensar mais profundamente em como a ansiedade nos afeta. Assim, como lidar com a ansiedade para o ENEM pode não ser tarefa fácil.

Então, vamos a uma entrevista com a psicóloga Thais Koga.

como lidar com a ansiedade para o enem
Uma das melhores maneiras de reduzir a ansiedade é estar bem preparado – Fonte: Pexels.

1. O que é ansiedade e por que ela é comum antes de um exame importante como o ENEM?

“A ansiedade é uma reação natural do corpo, uma experiência biológica que sinaliza sobrevivência, provocando uma antecipação de ameaça futura. No entanto, muitas vezes a ansiedade não tem um objeto definido, fazendo com que se lide com uma ameaça vaga à existência.

A ansiedade se manifesta por meio de sentimentos, emoções e reações corporais que pode tanto beneficiar, quanto prejudicar, dependendo da intensidade, frequência e circunstâncias que o indivíduo lida. Pode se tornar patológica quando traz prejuízos sociais, psíquicos ou corporais.

Diante de um acontecimento importante, como o ENEM, é natural que o corpo reaja e isso pode acontecer de forma positiva, quando deixa o aluno em alerta e preparado para lidar melhor com a situação, ou negativa, quando apresenta sintomas que prejudicam o rendimento nos estudos e desempenho na prova.

É importante ressaltar que ao realizar o ENEM, o estudante não está lidando apenas com uma prova, mas também com seu futuro, sonhos, acesso ao ensino superior, concorrência, escolhas profissionais, expectativas.”

2. Quais são os sintomas típicos de ansiedade pré-exame que os estudantes podem experimentar?

A ansiedade pode de manifestar por meio de sintomas físicos e emocionais. Assim, os sintomas físicos podem ser: taquicardia, falta de ar, alteração do sono, alteração de apetite, tensão muscular, sudorese, náusea.

Já os sintomas emocionais podem ser: medo, insegurança, preocupação excessiva, inquietação, oscilação de humor, pensamentos acelerados e obsessivos.

3. Como a ansiedade pode afetar o desempenho em um exame como o ENEM?

“Em altos níveis, a ansiedade provoca alterações físicas, fazendo com que o estudante se sinta mal e desvie o foco da prova para o desconforto que vivencia.

Durante a vivência da ansiedade, também é comum o indivíduo ter pensamentos negativos, fazendo com que acredite que algo ruim vá acontecer, mesmo sem evidências para isso, e pensamentos acelerados, lidando com devaneios que interrompem seu raciocínio e concentração.”

4. Existem estratégias eficazes para lidar com a ansiedade antes do ENEM?

Sim, mas primeiro é preciso identificar e reconhecer o que está sentindo e com o que está lidando, afinal nem todos vivenciam a ansiedade da mesma maneira. Então, não há um protocolo único, o que funciona para uma pessoa, não necessariamente vai ajudar outra.

Entre as estratégias que podem ser utilizadas:

  • Acionar rede de apoio: é importante saber que não se está sozinho, que há pessoas que prezam pelo seu bem-estar e que estarão prontos para ajuda-lo no que for possível.
  • Respiração: com uma respiração consciente é possível regular o sistema nervoso, aumentar a entrada de oxigênio no organismo, diminuir os sintomas físicos da ansiedade, ter um corpo mais energizada e a cabeça mais relaxada.
  • Prática de atividades físicas: equilíbrio de hormônios que colaboram com a sensação de bem-estar e relaxamento; melhora a qualidade do sono; aumento da disposição; redução de estresse.
  • Estudos: tentar encontrar o método mais eficiente para a assimilação de conteúdo (leitura, escrita, esquematização, fala); fazer simulados, que proporcionam oportunidade de se adaptar ao formato da prova, além de aprender a administrar o tempo disponível para resolução.
  • Fazer terapia: quando a ansiedade é vivenciada de forma prejudicial, a psicoterapia pode auxiliar a pessoa em seus sintomas, dificuldades, formas de se relacionar consigo e com mundo.
  • Atividades de lazer: descanso e momentos de lazer não são recompensas, mas investimentos em qualidade de vida e saúde mental.

5. Que dicas práticas você daria aos estudantes para gerenciar a ansiedade durante o ENEM, especialmente durante as provas?

  • Respiração: mais uma vez ela aparece como estratégia. Com recursos limitados durante a prova, conscientizar-se para a prática de uma respiração correta ajuda na concentração e nos níveis de energia.
  • Gerenciamento do tempo: é importante se concentrar para responder a prova de forma mais assertiva, mas não se pode esquecer do tempo de duração. Tente ficar atento ao relógio a cada meia hora ou quarenta minutos.
  • Controle do pensamento: com a aceitação do que já pode ser feito na preparação e qualidade de presença, é preciso pensar o que pode ser feito agora, não buscando ser otimista, mas realista diante das possibilidades.
  • Alimentação: apesar do cuidado prévio com alimentação balanceada, pode ajudar ter um lanche e água para suprir necessidades fisiológicas que vierem durante a prova.
  • Pausas: tirar alguns minutinhos para reorganizar pensamentos e emoções: respirar, ir ao banheiro, tomar água.

6. Que recursos ou serviços de apoio os estudantes podem procurar se estiverem enfrentando ansiedade significativa antes do ENEM?

“Quando perceber que a ansiedade vivenciada está prejudicando o rendimento e trazendo sofrimento físico e psíquico, é importante buscar atendimento profissional especializado por meio da psicoterapia e, quando necessário, psiquiatria.

Os tratamentos psicológicos e psiquiátricos podem ajudar no equilíbrio emocional, a lidar com ansiedade, estresse, manejo de conflitos, melhora na autoestima e autoconhecimento.”

7. Existe mais alguma informação ou conselho que você gostaria de compartilhar com os estudantes que estão prestes a fazer o ENEM e estão lidando com a ansiedade?

“Acredito ser importante lembrar que a ansiedade é uma reação biológica do nosso corpo e, assim como lidamos de diferentes formas com nossas emoções, também podemos dialogar e compreender o que os sintomas da ansiedade que vivencio podem querer me dizer.

Ter a clareza que nem sempre é disfuncional ou patológico pode ajudar na sua aceitação, na forma como é vivida e enfrentada. Mesmo quando patológico, não podemos reduzir um indivíduo a um diagnóstico.

Não lidamos com um indivíduo ansioso, mas com uma pessoa com sintomas ansiosos, compreendendo seu campo existencial, projetos, história de vida e como tudo isso é vivenciado.”

Como utilizar o CRIA nos seus estudos?

Agora que você já entendeu como usar a nota do ENEM, pode se dedicar aos estudos. Com isso, o CRIA pode te ajudar. Mas como?

Projetado para ser um corretor de redações baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, o CRIA é uma ferramenta útil e simples de ser utilizada.

Assim, ele usa modelos de aprendizado de máquina gerados por meio de redações escritas por alunos reais e corrigidas por professores.

Através do modelo, o CRIA realiza previsões de notas por competência, análise de contexto na introdução, previsão de defesa de tese, previsão de fuga ao tema, previsão de intervenção, uso de parônimas e homônimas, etc.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, basta escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos, sua redação do ENEM estará corrigida de acordo com as 5 competências do exame.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Fonte: CRIA.

A quem o CRIA é destinado?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes