CRIA logo

5 Argumentos coringas para redação do ENEM: exemplos!

Compartilhe

Contar com alguns argumentos coringas para a redação do ENEM pode ser o grande diferencial para mandar bem na hora da prova. Clique e confira!

Conhecer os argumentos coringas para redação do ENEM pode facilitar a vida do candidato caso ele não domine tão bem assim o tema da proposta de redação do exame.

Já pensou estar diante de um tema que você não sabe nada sobre? Bem complicado, não é? Muitos professores e especialistas em ENEM tentam “advinhar” qual será o tema da prova de redação. Por mais que exista uma análise bem feita, é praticamente impossível saber exatamente qual será o tema da redação.

Mas como argumentar um tema desconhecido? É para isso que servem os argumentos coringas para a redação do ENEM. O ideal é estar muito bem preparado, estar atento aos acontecimentos atuais e ter um bom repertório sociocultural.

Entretanto, mesmo estando bem preparado, o candidato ainda pode ser pego desprevenido. Assim, o CRIA selecionou argumentos coringas para utilizar em qualquer tema da redação do ENEM. Boa leitura.

argumentos coringas para redacao do enem
Os argumentos coringas são aqueles que podem ser usados para discutir uma variedade de temas — Fonte: Pexels.

O que são argumentos em uma redação?

Os argumentos são os fatos, as provas e os dados que o candidato transforma em razões para apoiar sua tese. Assim, o gênero textual dissertativo-argumentativo permite avaliar o estágio de formação e preparação do candidato que o escreve, pois requer razões e argumentos capazes de sustentar uma opinião.

Desse modo, a redação dissertativa-argumentativa é responsável por expor o problema discutido no texto de apoio da proposta de redação e detalhar os argumentos utilizados.

Eles são elencados a partir da tese, isto é, o resumo da principal ideia ou argumento que o candidato pretende desenvolver e defender. Assim, para a defesa, é preciso argumentar a fim de persuadir a banca corretora.

Você também pode se interessar por:

O que são argumentos coringas para redação do ENEM? Exemplos!

Quando se trata de escrever uma boa redação no ENEM, a habilidade de apresentar argumentos sólidos e convincentes é fundamental.

No entanto, há um truque valioso que os estudantes astutos têm em seu arsenal: os argumentos coringas.

Então, um argumento pode ser:

  • um fato;
  • uma experiência;
  • uma estatística;
  • uma raciocínio lógico;
  • a opinião de um estudioso;

Assim, veja os principais argumentos coringas para a redação do ENEM:

1. Legado histórico

Um dosmeios de utilizar os argumentos coringas para redação do ENEM é por meio do legado histórico. Em resumo, é um caminho seguro para fazer a argumentação na redação do ENEM.

Então, identifique fatos, personalidades ou movimentos do passado que são relevantes para o assunto atual. Isso a fim de demonstrar como essas conexões históricas afetam ou são pertinentes às circunstâncias do mundo moderno.

Além disso, ao apresentar argumentos, use exemplos históricos como evidência para apoiar suas afirmações. Então, confira um exemplo:

Nesse viés, a retratação da história do Brasil de forma eurocêntrica é um fator que impede a valorização dos nativos. No ano 1500, os portugueses ao, por conseguinte, tomaram posse dos povos e de sua cultura, assim subtraindo-se da originalidade destes e prevalecendo os costumes europeus. Em analogia, após mais de 500 anos esse contexto ainda perdura no Brasil, visto que no meio educacional muito se discute sobre as conquistas dos ocidentais, mas pouco se fala do papel dos originais brasileiros na construção da nação. Desse forma, a atual didática de ensino da história brasileira nas escolas cria um ambiente de desvalorização dessa parcela social.

Aqui, o desenvolvimento, formado pelos segundo e terceiro parágrafos da redação, atendeu ao objetivo central, que é demonstrar a relevância da tese apresentada apresentando as ideias com seus fundamentos.

Desse modo, a aluna trouxe uma referência histórica, demonstrando uma hipótese acerca da origem dos desafios da valorização dos povos originários.

Então, seu primeiro argumento pauta-se nas problemáticas do ensino de história nas escolas, sendo este um dos motivos apresentados para justificar essa falta de valorização.

2. Negligência governamental

Esse é um dos argumentos coringas mais comumente empregados na redação do exame. Afinal, muitos dos problemas em nossa sociedade são causados pela negligência do governo.

Contudo, qual é a definição de negligência do governo? É o resultado do descaso do governo e da falta de investimento para resolver problemas sociais.

Então, veja um exemplo:

Em primeiro plano, evidencia-se, por parte do Estado, a ausência de políticas públicas suficientemente efetivas para democratizar o acesso ao cinema no país. Essa lógica é comprovada pelo papel passivo que o Ministério da Cultura exerce na administração do país. Instituído para se rum órgão que promova a aproximação de brasileiros a bens culturais, tal ministério ignora ações que poderiam, potencialmente, fomentar o contato de classes pouco privilegiadas ao mundo dos filmes, como a distribuição de ingressos em instituições públicas de ensino básico e passeios escolares a salas de cinema. Desse modo, o Governo atua como agente perpetuador do processo de exclusão da população mais pobre a esse tipo de entretenimento. Logo, é substancial a mudança desse quadro.”

Nessa redação de Daniel Gomes, do ENEM 2019 “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, o participante argumenta que a problemática é ausência de política públicas por parte do governo para possibilitar a democratização do acesso ao cinema.

3. Modernidade líquida

Muitos temas podem se beneficiar de uma argumentação sobre as transformações sociais que acontecem atualmente.

O sociólogo Zygmunt Bauman, autor da teoria da “Modernidade líquida” oferece uma perspectiva crítica sobre a sociedade contemporânea, argumentando que vivemos em uma era caracterizada pela incerteza e volatilidade.

Então, veja um exemplo:

Em princípio, cabe analisar o papel da internet no controle do comportamento sob a perspectiva do sociólogo contemporâneo Zygmunt Bauman. Segundo o autor, o crescente desenvolvimento tecnológico, aliado ao incentivo ao consumo desenfreado, resulta numa sociedade que anseia constantemente por produtos novos e por informações atualizadas. Nesse contexto, possibilita-se a ascensão, no meio virtual, de empresas que se utilizam de algoritmos programados para selecionar o conteúdo a ser exibido aos internautas com base em seu perfil socioeconômico, oferecendo anúncios de produtos e de serviços condizentes com suas recentes pesquisas em sites de busca ou de compras. Verifica-se, portanto, o impacto da mídia virtual na criação de necessidades que fomentam o consumo entre os cidadãos.”

Nessa redação do ENEM 2018, a aluna Fernanda Carolina Santos Terra de Deus abre sua argumentação do parágrafo de desenvolvimento com a citação do sociólogo polonês.

Tratando-se do tema “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, cabe muito bem apresentar esse repertório sociocultural.

4. Influência das redes sociais

Esse debate torna-se cada vez mais importante com a proliferação das redes sociais e o impacto que elas têm em todas as facetas da vida.

“Em seguida, é relevante examinar como o controle sobre o conteúdo que é veiculado em sites favorece a adesão dos internautas a certo viés ideológico. Tendo em vista que os servidores de redes sociais como “Facebook“ e “Twitter” traçam o perfil de usuários com base nas páginas por eles visitadas, torna-se possível a identificação das tendências de posicionamento político do indivíduo. Em posse dessa informação, as empresas de tecnologia podem privilegiar a veiculação de notícias, inclusive daquelas de procedência não confirmada, com o fito de reforçar as posições políticas do usuário, ou, ainda, de modificá-las para que se adequem aos interesses da companhia. Constata-se, assim, a possibilidade de manipulação ideológica na rede.”

Nessa redação do ENEM 2018, a participante Luisa Sousa Lima Leite expôs a problemática por meio da influência da manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet.

5. Individualismo na sociedade

O individualismo é um conceito frequentemente discutido em relação ao marxismo e à análise crítica das sociedades capitalistas.

Assim, esse comportamento reflete em diversos problemas que enfrentamos como sociedade.

Então, confira o exemplo:

“Outrossim, a busca pelo ganho pessoal acima de tudo também pode ser apontado como responsável pelo problema. De acordo com o pensamento marxista, priorizar o bem pessoal em detrimento do coletivo gera inúmeras dificuldades para a sociedade. Ao vender dados particulares e manipular o comportamento de usuários, empresas invadem a privacidade dos indivíduos e ferem importantes direitos da população em nome de interesse individuais. Desse modo, a união da sociedade é essencial para garantir o bem-estar coletivo e combater o controle de dados e a manipulação do comportamento no meio digital.”

Nessa redação do participante do ENEM 2018, Mattheus Marting Wengenroth Cardoso traz como argumento a problemática do individualismo, embasado na teoria marxista em que prevê o bem coletivo como essencial.

Como podemos argumentar na redação do ENEM?

De modo geral, argumentar na redação do ENEM envolve seguir algumas etapas importantes para desenvolver seus pontos de vista de forma clara, coerente e convincente.

E como fazer isso?

  • Entenda o tema;
  • Formule uma tese clara;
  • Utilize argumentos consistentes;
  • Faça uso de exemplos relevantes.

Para a redação do ENEM, especificamente, os argumentos devem ser 2, expostos nos parágrafos de desenvolvimento do texto.

A partir da introdução com a tese bem definida, seguem-se os desenvolvimentos com a argumentação escolhida pelo candidato.

Então, confira um exemplo:

Exemplo de argumentação na redação do ENEM:

ENEM 2018 “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet” – redação do participante: Pedro Assasd Salloum Moreira da Rocha

Em primeira análise, é lícito postular que a informação é um bem de valor social, o qual é responsável por modular a cosmovisão antropológica pessoal e influenciar os processos de decisão humana. Nesse raciocínio, as notícias e acontecimentos que chegam a um indivíduo exercem forte poder sobre tal, estimulando ou suprimindo sentimentos como empatia, medo e insegurança. É factual, portanto, que a capacidade de selecionar – via algoritmos – as reportagens e artigos que serão vistos por determinado público constitui uma ameaça à liberdade de pensamento crítico. Evidenciando o supracitado, há o livro “Rápido e devagar: duas formas de pensar”, do especialista comportamental Daniel Khaneman, no qual esse expõe e comprova – por meio de décadas de experimentos socioculturais – a incisiva influência
dos meios de comunicação no julgamento humano. Torna-se clara, por dedução analítica, a potencial relação negativa entre a manipulação digital por dados e a autonomia psicológica e racional da população.”

Nessa redação, o participante seguiu exatamente a estrutura do desenvolvimento. Ele iniciou com o tópico frasal, isto é, um breve resumo do que será abordado.

Em seguida, trouxe o argumento se embasando em argumento de autoridade do especialista comportamental Daniel Khaneman. Por fim, finaliza com uma breve conclusão do parágrafo.

A argumentação corrobora a ideia de que a manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet é prejudicial, já que influencia até mesmo em aspectos como empatia, medos e sentimentos de insegurança.

Como são avaliados os argumentos na redação do ENEM?

Conforme a Cartilha do Participante disponibilizada pelo INEP, a apresentação de tese e argumentos, bem como a estrutura composicional do texto dissertativo-argumentativo, são necessárias para a avaliação do texto.

É importante destacar que as redações aprovadas no ENEM mostram que os candidatos são indivíduos engajados, participativos e reflexivos, capazes de mudar a sociedade. Assim, estabelecem uma conexão entre os fatos, ou seja, um sujeito com pensamento crítico, refletindo sobre si e sobre a sociedade.

Os argumentos são avaliados pela competência 2: “Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos de várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa”.

Nessa competência, a redação pode levar de 0 a 200 pontos, sendo assim, segundo o INEP é:

Pontuação:Condição:
200Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, baseado em um repertório sociocultural produtivo, e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo.
160Desenvolve o tema por meio de argumentação consistente e apresenta bom domínio do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão.

120Desenvolve o tema por meio de argumentação previsível e apresenta domínio mediano do texto dissertativo-argumentativo, com proposição, argumentação e conclusão.
80Desenvolve o tema recorrendo à cópia de trechos dos textos motivadores ou apresenta domínio insuficiente do texto dissertativo-argumentativo, não atendendo à estrutura com proposição, argumentação e conclusão.
40Apresenta o assunto, tangenciando o tema, ou demonstra domínio precário do texto dissertativo-argumentativo, com traços constantes de outros tipos textuais.
0Fuga ao tema/não atendimento à estrutura dissertativo-argumentativa. Nestes casos a redação recebe nota zero e é anulada.

Referências coringas para usar na redação do ENEM

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma das avaliações mais importantes no cenário educacional brasileiro, não apenas por sua relevância como critério de seleção para ingresso no ensino superior, mas também por sua abrangência e impacto social.

Assim, a redação do ENEM, em particular, representa uma oportunidade única para os candidatos expressarem suas ideias, argumentos e visões sobre temas de relevância social, cultural e política.

Então, confira algumas referências coringas para usar na redação do ENEM:

A sociedade do cansaço de Byung-Chul Han

A Sociedade do Cansaço” é uma obra escrita pelo filósofo sul-coreano Byung-Chul Han e publicada em 2010. Neste livro, Han apresenta uma análise crítica da sociedade contemporânea, argumentando que estamos vivendo em uma era marcada pela exaustão e pelo esgotamento.

Han descreve como a sociedade moderna, com suas demandas incessantes por produtividade, eficiência e sucesso pessoal, cria uma cultura do cansaço que se manifesta não apenas física, mas também mental e emocional.

Assim, ele examina como a tecnologia, em vez de aliviar o fardo do trabalho, muitas vezes contribui para aumentar a sensação de sobrecarga e pressão constante.

Além disso, Han discute como o individualismo exacerbado e a busca incessante por autenticidade e realização pessoal podem levar à solidão e ao isolamento social.

Então, ele critica a sociedade contemporânea por valorizar a positividade excessiva e a autoexposição, enquanto marginaliza o sofrimento e a fragilidade humanos.

Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos é um documento fundamental no campo dos direitos humanos, proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948.

Além disso, estabelece os direitos fundamentais que devem ser protegidos e respeitados em todas as sociedades, independentemente de raça, nacionalidade, religião, sexo, orientação sexual, ou qualquer outra condição.

A Declaração consiste em 30 artigos que abordam uma ampla gama de direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais.

Entre esses direitos estão o direito à vida, à liberdade, à igualdade perante a lei, à liberdade de expressão, à liberdade de religião, ao trabalho digno, à educação e à proteção contra a tortura e tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes.

Como utilizar o CRIA para melhorar a sua argumentação?

Os argumentos coringas para redação do ENEM podem ser um ótimo instrumento para aqueles participantes que não dominam o tema proposto pela redação do exame.

Mas além desse repertório para argumentação, existem outros elementos essenciais para mandar bem na prova. Então, se você não se sente preparado para escrever a redação com um bom repertório, o CRIA pode te ajudar. Mas o que é o CRIA?

CRIA é um corretor de redação por inteligência artificial que garante uma correção com grande precisão, baseando-se nas 5 competências do ENEM. E para a praticidade do estudante, a correção é entregue até 2 minutos.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 4.6 / 5. Número de votos: 16

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes