CRIA logo

Como escrever o desenvolvimento do ENEM?

Compartilhe

Para saber como escrever o desenvolvimento do ENEM, o candidato deve se atentar a toda a estrutura da redação. Neste sentido, deve-se elaborar argumentos que sustentem sua tese e se conectem com as demais partes do texto.

O ENEM é uma das principais portas de entrada para o ensino superior no Brasil. Por isso, é utilizado por diversas universidades públicas e privadas como critério de seleção para ingresso em seus cursos de graduação.

Desse modo, é fundamental que o estudante dedique tempo suficiente para a elaboração da redação, revisando e corrigindo possíveis erros e fazendo ajustes necessários para garantir uma escrita clara, coesa e convincente.

Pensando nisso, o CRIA preparou esse artigo completo para te guiar em como escrever o desenvolvimento do ENEM. Boa leitura.

como escrever o desenvolvimento do enem
Passo a passo de como escrever o desenvolvimento do ENEM – Foto: Pexels.

Como é a redação do ENEM?

A redação é uma das partes mais importantes do ENEM, já que tem um peso significativo na nota final. Desse modo, a produção exige que o estudante demonstre suas habilidades de escrita e argumentação.

Então, uma boa redação deve ter uma estrutura clara e organizada, com uma introdução que apresente o tema e a tese a ser defendida.

Além disso, o candidato deve elaborar um desenvolvimento que apresente argumentos e exemplos que sustentem sua tese. E, por fim, é preciso uma conclusão que retome os pontos principais e apresente uma proposta de intervenção ou reflexão sobre o tema.

Portanto, conhecer a estrutura da redação, demonstrar repertório sociocultural e domínio da norma culta são pilares para uma produção textual nota mil.

Como escrever o desenvolvimento do ENEM?

A parte mais importante da redação é o desenvolvimento. Por quê? É nesse momento em que o candidato vai além de expor sua opinião, e deve argumentar em favor dela. Assim, apresentar o tema ou uma solução para a problemática também são importantes.

Porém, o que a banca corretora realmente quer saber é: “Esse aluno possui domínio linguístico e repertório para estar em um curso de ensino superior?”.

O desenvolvimento, em específico, possui o objetivo de convencer o leitor da sua argumentação. Por isso, é comum que ele seja elaborado em 2 parágrafos ao longo do texto.

Confira agora a estrutura do desenvolvimento:

Tópico frasal

Utilizado não exclusivamente no ENEM, é a introdução de qualquer parágrafo de um texto. Ou seja, é um recurso linguístico que visa resumir a ideia central de um parágrafo em apenas uma linha.

Também pode ser chamado de afirmação, isto é, o candidato precisa apenas delimitar a informação que será explicada, exemplificada e concluída no decorrer do parágrafo.

Explicação

Depois de apresentar a ideia geral do parágrafo por meio do tópico frasal, é necessário explicar.

Então, é esse o momento de explicar ou ilustrar o argumento com o repertório sociocultural, por meio de dados estatísticos, atualidades, filmes, séries, personalidades relevantes.

Exemplificação

Nesse passo, o candidato precisa exemplificar todas essas informações. Qual o intuito disso?

Bom, é por meio do exemplo que uma teoria se torna prática, ou seja, ligar teoria com a realidade. Aqui, os exemplos precisam ser de comum conhecimento.

Conclusão

Agora chegou a hora de concluir todas as ideias. Parece meio repetitivo, não é mesmo? Porém, essa repetição resulta em uma dissertação que em nenhum momento esquece do leitor do texto.

Como se trata de assuntos complexos e, na parte das vezes, com muitas informações, é necessário situar o leitor sempre.

Confira agora um esquema de como deve ser a estrutura do parágrafo de desenvolvimento:

estrutura do desenvolvimento na redacao do enem

Exemplo de desenvolvimento

Após conhecer os passos para um bom desenvolvimento na redação do ENEM, confira um exemplo de redação nota mil.

ENEM 2022: “Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil” (aplicação regular) – Autora: Carina Moura:

Nesse sentido, é inegável que o escasso interesse político em assegurar o respeito à cultura e ao modo de vida das populações tradicionais frustra a valorização desses indivíduos. Isso acontece, porque, como já estudado pelo sociólogo Boaventura de Sousa Santos, há no Brasil uma espécie de “Colonialismo Insidioso”, isto é, a manutenção de estruturas coloniais perversas de dominação, que se disfarça em meio a avanços sociais, mas mantém a camada mais vulnerável da sociedade explorada e negligenciada. Nessa perspectiva, percebe-se o quanto a invisibilização dos povos tradicionais é proposital e configura-se como uma estratégia política para permanecer no poder e fortalecer situações de desigualdade e injustiça social. Dessa forma, tem-se um país que, além de naturalizar as mais diversas invasões possessórias nos territórios dos povos tradicionais, não respeita a forma de viver e produzir dessas populações, o que comprova uma realidade destoante das produções literárias do Romantismo.

Ademais, é nítido que as dificuldades de promover um verdadeiro reconhecimento e valorização das comunidades tradicionais ascendem à medida que raízes preconceituosas são mantidas. De fato, com base nos estudos da filósofa Sueli Carneiro, é perceptível a existência de um “Epistemicídio Brasileiro” na sociedade atual; ou seja, há uma negação da cultura e dos saberes de grupos subalternizados, a qual é ainda mais reforçada por setores midiáticos. Em outras palavras, apesar da complexidade de cultura dos povos tradicionais, o Brasil assume contornos monoculturais, um vez que inferioriza e “sepulta” os saberes de tais grupos, cujas relações e produções, baseadas na relação harmônica com a natureza, destoam do modelo ocidental, capitalista e elitista. Logo, devido a um notório preconceito, os indivíduos tradicionais permanecem excluídos socialmente e com seus direitos negligenciados.

Quais conectivos utilizar no desenvolvimento ENEM?

No desenvolvimento de uma redação para o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), é importante utilizar conectivos adequados para estabelecer a coesão e coerência do texto. Alguns exemplos de conectivos que podem ser utilizados são:

  • Adição: além disso, também, ainda, inclusive, e, nem, não só… mas também;
  • Consequência: por isso, assim, portanto, logo, então, dessa forma, consequentemente, em decorrência disso;
  • Contraste: mas, porém, entretanto, todavia, contudo, ainda assim, apesar disso;
  • Causa: porque, já que, visto que, uma vez que, como, por causa de, devido a, em virtude de;
  • Condição: se, caso, desde que, contanto que, a menos que;
  • Temporalidade: antes, depois, enquanto, logo que, assim que, sempre que, até que.

É importante lembrar que o uso adequado dos conectivos deve estar sempre em concordância com a estruturação lógica do texto. Assim, garantir a coerência e a fluidez da argumentação.

Otimize deu tempo de estudos com o CRIA

Agora que você conhece toda a estrutura do parágrafo, fica bem mais fácil entender como escrever o desenvolvimento do ENEM.

Ter uma rotina planejada de estudos, que coloque a redação como treino pelo menos uma vez por semana é o ideal. E como saber se estou no caminho certo? O CRIA pode te ajudar com isso.

O CRIA é uma plataforma de correção de redação por meio de inteligência artificial. Desse modo, o CRIA possui um banco de dados com centenas de milhares de redações, usadas para entregar ao aluno uma descrição detalhada de onde errou, como pode arrumar e o porquê tal erro gera desconto de pontos no ENEM. 

E sabe o melhor? Tudo isso em até dois minutos.

Gostou? Então comece agora.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes

como e a redacao da uft

Como é a redação da UFT 2024/2?

A redação da UFT segue o padrão comum de muitos vestibulares, solicitando aos candidatos que produzam um texto dissertativo-argumentativo. A avaliação é baseada em cinco competências específicas, conforme detalhado no edital da instituição.

Leia mais »