CRIA logo

Brainstorming na redação: como utilizar a estratégia?

Compartilhe

O brainstorming ajuda a estimular a criatividade e a geração de novas ideias. Por isso, pode ser uma técnica que auxilia na escrita de redações para vestibulares.

O brainstorming é uma técnica que visa estimular a criatividade para o desenvolvimento e geração de novas ideias. Desse modo, o brainstorming na redação pode ser uma estratégia essencial se você enfrenta dificuldades, principalmente na hora de começar a escrever.

Uma dos principais motivos de problemas na construção textual é a falta de planejamento do texto. Afinal, não se planejar afeta a redação como uma reação em cadeia, visto que dificulta a articulação das ideias buscadas para a produção de textos.

Quando as ideias são pensadas e/ou escritas no papel, elas aparecem sobrepostas e sem conexão em um primeiro olhar. Assim, a falta de planejamento impede a articulação destas ideias, o que significa que elas podem se repetir ou se contradizer no texto.

Portanto, para selecionar e organizar informações de maneira lógica e coerente, é necessário ter estratégias de planejamento bem definidas sempre disponíveis.

Então, confira esse conteúdo completo do CRIA sobre as estratégias de planejamento e brainstorming na redação. Continue conosco e boa leitura.

brainstorming na redacao
O objetivo do brainstorming na redação é criar um ambiente onde todas as ideias são bem-vindas, sem críticas ou julgamentos — Foto: Pexels.

O que é brainstorming?

“Chuva de ideias”, “tempestade de ideias” — todas essas expressões se referem ao brainstorming, palavra inglesa. Dessa forma, segundo Gehardt e Mendonça:

O termo “brainstorming” foi criado por Alex Faickney Osborn, um publicitário americano, para descrever um método para desenvolver habilidades criativas. Designou a dinâmica de grupo com um líder que encorajava os participantes a se expressarem, visando encontrar soluções audaciosas para problemas, criar novas ideias e outros objetivos.

Assim, ao longo da reunião, as ideias que surgiam na mente dos participantes eram discutidas e escritas em busca de uma solução para o problema apresentado.

Não havia limite para a quantidade de informações expressas ou para qualquer julgamento de valor sobre as ideias. Posteriormente, os resultados foram comparados para determinar possíveis caminhos de solução para as dificuldades.

Desse modo, as ideias de Osborn se espalharam pelo mundo e o brainstorming é utilizado para resolver problemas em várias áreas. Assim, o brainstorming pode ser visto como uma estratégia facilitadora da escrita.

Você também pode se interessar por:

Passo a passo de como fazer o brainstorming na redação

O brainstorming, ou tempestade de ideias, é uma técnica eficaz para gerar ideias e inspiração antes de começar a redigir um texto.

Aqui estão algumas etapas que você pode seguir para realizar um brainstorming eficiente na redação:

1. Defina o objetivo:

Antes de começar, tenha claro o objetivo do seu texto. Isso ajudará a direcionar suas ideias.

2. Escreva tudo o que vem à mente:

Comece anotando todas as ideias que vêm à mente, sem se preocupar com a organização ou a qualidade nesse momento.

3. Use técnicas de associação:

Associe palavras-chave relacionadas ao tema para desencadear novas ideias. Então, pergunte-se: “o que está associado a isso?”.

4. Mantenha um ambiente livre de julgamentos:

Não descarte nenhuma ideia neste estágio. Afinal, o objetivo é gerar o máximo possível de ideias, sem se preocupar com sua viabilidade inicial.

5. Estimule a colaboração:

Se estiver em grupo, encoraje a colaboração. Assim, diferentes perspectivas podem enriquecer o brainstorming.

6. Use mapas mentais:

Crie mapas mentais para visualizar as relações entre diferentes ideias. Isso pode auxiliar na organização e na identificação de conexões.

7. Estabeleça um limite de tempo:

Defina um limite de tempo para cada sessão de brainstorming para manter o processo ágil e focado.

8. Revise e refine:

Após gerar uma quantidade significativa de ideias, revise e refine as mais promissoras. Nesse sentido, considere a relevância, a originalidade e a viabilidade.

9. Organize as ideias:

Agrupe as ideias semelhantes e organize-as de maneira lógica. Assim, isso ajudará na estruturação do seu texto.

10. Desenvolva um esboço:

Com base nas ideias organizadas, crie um esboço inicial para seu texto. Isso fornecerá uma estrutura sólida para a redação.

Brainstorming na redação: fases da organização das ideias

Os processos de organização de ideias podem operar em 3 etapas de organização textual, sendo elas:

  • Produção e seleção das informações;
  • Formulação das proposições;
  • Disposição dos elementos no texto.

Temática:

Essa primeira etapa subdivide-se em um momento de acesso às informações relacionadas ao assunto que estão arquivadas na memória e, em seguida, há a “seleção de tópicos” e organização e planificação das informações consideradas relevantes para a produção do texto.

Ou seja:

  • Seleção de tópicos;
  • Ordenação de ideias;
  • Separação de conteúdo;
  • Disposição das informações.

Nesse sentido, o brainstorming atua no momento em que o aluno ou redator busca em sua memória relações com o tema trabalhado, e articulando ideias a fim de criar grupos compostos por maiores e menores informações que melhor dialoguem entre si.

Argumentativa:

Já na fase argumentativa, perpassa por etapas como:

  • Formulação da tese;
  • Eleição de argumentos;
  • Articulação dos argumentos;
  • Composição da conclusão.

Estrutura:

A estrutura textual refere-se à organização e disposição lógica de elementos em um texto. Nesse sentido, eles são organizados para facilitar a compreensão e a transmissão efetiva da mensagem ao leitor.

Desse modo, a estrutura varia conforme o tipo de texto, seu propósito e o gênero. Mas, de modo geral, podemos observar um roteiro que pode guiar o brainstorming na redação. Assim, segue abaixo:

  • Visualização dos parágrafos;
  • Distribuição das frases;
  • Associação das frases;
  • Elaboração dos parágrafos.

Exemplos de brainstorming na redação

Conforme Gehardt, Mendonça e Silveira, a partir da aplicação da estratégia no curso Redação dos Cursos de Línguas Abertos à Comunidade da UFRJ, observam-se alguns dados importantes.

Assim, seguem 2 exemplos que apresentam alguns dos dados coletados pelos autores, selecionados das informações de todas as quatro sessões realizadas.

Na pesquisa realizada, as palavras padronização e amor foram o foco no brainstorming. Então, a partir delas, os alunos indicaram as ideias que surgiram e organizadas pela pesquisadora.

Padronização:

I. Senso comum: beleza, corpo, mulher.
II. Críticas: imposição, estigma, desigualdade.
III. Positivas: nivelamento, representatividade, acessibilidade.
IV. Suspensões: generalização, comparação, mudança.
V. Digressões: contos de fadas, comunidade de fala, militar.
VI. Sinônimas prototípicas: modelo, lei, regra.

Amor:

I. Senso comum: felicidade, vínculo, família, relacionamento.
II. Críticas: costume social, sobrevivência da espécie, incapacidade de viver só.
III. Positivas: aceitação; empoderamento, integração.
IV. Suspensões: homo-afetividade, intensidade.
V. Digressões: choppada, spotted, funk.
VI. Oposições: ódio, violência, descontrole.

Aprimore sua escrita com o CRIA

Agora que você já aprendeu como utilizar a estratégia de brainstorming na redação, o CRIA pode ser a ferramenta ideal para esse processo. Mas o que é o CRIA?

Projetado para ser um corretor de redações baseado em inteligência artificial e processamento de linguagem natural, o CRIA é uma ferramenta útil e simples de utilizar.

Assim, ele utiliza modelos de aprendizado de máquina gerados por meio de redações escritas por alunos reais e corrigidas por professores.

Através do modelo, o CRIA realiza previsões de notas por competência, análise de contexto na introdução, previsão de defesa de tese, previsão de fuga ao tema, previsão de intervenção, uso de parônimas e homônimas, etc.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.
O CRIA, uma ferramenta de correção de redações com inteligência artificial, te ajuda a praticar para o ENEM — Vídeo: Reprodução.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, você pode escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos sua redação do ENEM estará corrigida conforme as 5 competências do ENEM.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Foto: CRIA.

A quem o CRIA se destina?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então acesse aqui.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes