CRIA logo

Como argumentar sem generalizar na redação do ENEM?

Compartilhe

A generalização na redação do ENEM pode desconsiderar as particularidades e nuances de uma situação. Pensando nisso, entender como argumentar sem generalizar na redação do ENEM é fundamental para um bom texto.

É importante lembrar que o ENEM possui competências que o candidato deve apresentar. De maneira geral, é necessário elaborar a estrutura do texto dissertativo-argumentativo. Além disso, é preciso demonstrar domínio da Língua Culta, como boa ortografia, compreender a utilização dos conectivos, etc.

Ademais, o estudante deve apresentar conhecimento de mundo, ou seja, repertório sociocultural. Isso quer dizer estar atento às atualidades, dados estatísticos, principais pensadores e contexto histórico.

Pensando nisso, o CRIA preparou esse artigo com o passo a passo para você evitar a generalização na redação do ENEM. Confira:

Como argumentar sem generalizar na redacao do ENEM?
Como argumentar sem generalizar na redação do ENEM? – Fonte: Freepik

Passo a passo de como argumentar sem generalizar na redação do ENEM

Então, a fim de entender como argumentar sem generalizar na redação do ENEM, é preciso observar alguns pontos.

Para evitar a argumentação generalizante no Exame, considere algumas estratégias:

Faça uma análise cuidadosa

Faça um detalhamento da problemática, elencando os agentes responsáveis pelo problema de maneira sintética. Isto é, considere os diferentes fatores envolvidos e como eles afetam a situação.

Use dados concretos

Utilize dados concretos de grandes meios de comunicação para embasar seu argumento. Afirmações vagas não demonstram domínio sobre o entendimento da frase-tema do ENEM.

Utilize exemplos específicos:

Ilustre seus argumentos com exemplos específicos. Geralmente, a temática apresenta complexidades que necessitam de especificações. Então, isso ajuda a passar a sua ideia com base na realidade.

Considere as exceções

Lembre-se que ao apresentar seu argumento, considere as exceções. Existem situações em que o argumento pode não ser aplicável.

Por que generalizar na redação do ENEM é ruim?

Generalizar, em geral, pode ser uma opinião muito extrema, além de desconsideras qualquer possibilidade de discussão. Pode, até mesmo, dar a entender que sua ideia é irrefutável. Então, saber como argumentar sem generalizar na redação do ENEM é crucial.

Além disso, você corre o risco generalizar gera uma falsa comprovação da ideia. Dizer que “Todo mundo sabe” não quer dizer que todos realmente saibam. Então, ancorar as afirmações em elementos concretos é mais seguro.

Você também pode gostar de:

O que evitar na argumentação da redação do ENEM?

Agora que você compreendeu como argumentar sem generalizar na redação do ENEM, foque no que evitar. Existem algumas palavras que podem diminuir a nota do candidato se utilizadas na hora da argumentação. São as palavras totalizantes.

É importante que o candidato evite palavras totalizantes. Então, não utilize termos como: “sempre”, “tudo”, “nada”, “todos”, “ninguém”, “jamais”. Além disso, não se recomenda o uso de palavras de sentido coletivo, como “população”, “família”, “sociedade”, “juventude”, etc.

Exemplos:

  • “A população brasileira quando ouve o termo ‘saúde mental’ acredita se tratar de ‘doenças mentais’”.
  • “Toda população brasileira é excluída do universo do cinema”.
  • “Os adolescentes não possuem interesse em estar em sala de aula”.
  • “Jamais na história do Brasil houve interesse em diminuir a desigualdade social”.
  • “A juventude brasileira está perdida”.

Evite generalizações preconceituosas a todo custo

A fim de garantir uma boa nota na redação do ENEM, você deve apresentar pensamento crítico. Em suma, considerar diferentes perspectivas ao apresentar o seu argumento.

Todos os anos, milhares de redações são zeradas por desrespeitarem os Direitos Humanos. Então, além de evitar generalizações totalizantes, jamais traga pensamentos preconceituosos. A seguir, confira exemplos de frases de redações que foram zeradas por irem contra os Direitos Humanos.

ENEM 2016 — “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”

  • “podemos combater a intolerância religiosa acabando com as religiões e implantando uma doutrina única”.
  • “para combater a intolerância religiosa, deveria acabar com a liberdade de expressão”.
  • “que a cada agressão cometida o agressor recebesse na mesma proporção, tanto agressão física como mental”.
  • “o governo deveria punir e banir essas outras “crenças”, que não sejam referentes a Bíblia”.

ENEM 2016 — “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”

  • “deve sofrer os mesmos danos causados à vítima, não em todas as situações, mas em algumas ou até mesmo a pena de morte”.
  • “muitos dizem […] devem ser castrados, seria uma boa ideia”.
  • “fazer sofrer da mesma forma a pessoa que comete esse crime”.
  • “as mulheres fazerem justiça com as próprias mãos”.

Como saber se estou generalizando na minha redação do ENEM?

A primeira dica é: considere qual é a fonte da sua informação. Se questione: quem disse isso? Existe uma pesquisa que corrobore essa informação ou até mesmo algum pensador?

Não questionar a fonte da sua opinião é um erro. Afinal, opiniões individuais estão sujeitas a vivências pessoais podem não aplicarem ao todo.

Além disso, corre o risco de ofender pessoas, grupos e minorias. Ainda mais se utilizar palavrões na redação do ENEM, impropérios, linguagem depreciativa.

O CRIA, plataforma de correção de redação com inteligência artificial, criou mecanismos para identificar as generalizações. Essa é uma forma segura de apontar esse erro em redações.

Então, através do modelo, o CRIA realiza a correção das redações seguindo os parâmetros gerais cobrados por diversos vestibulares.

redacoes nota mil do enem 2022
Agora o CRIA corrige suas redações de todos os vestibulares – Foto: CRIA.

Quais são as funcionalidades do CRIA?

  • Análise instantânea da redação;
  • Simulação da sua nota do ENEM por competência;
  • Identificação de desvios, todos marcados no seu texto;
  • Traz correções detalhadas por competência;
  • Histórico de progresso;
  • Fornece dados para melhorias na escrita, em texto e/ou avatar explicativo;
  • Plataforma gamificada, pode compartilhar com amigos e obter vantagens;
  • Professor olha as correções do CRIA e pode alterar conforme achar necessário, assim o CRIA sempre aprende com eles.
O CRIA, uma ferramenta de correção de redações com inteligência artificial, te ajuda a praticar para o ENEM — Vídeo: Reprodução.

Qual o passo a passo para utilizar o CRIA?

Após escolher o plano, seu acesso à plataforma será liberado. Então, você pode escolher um tema disponível no site ou enviar outro tema desejado.

Em seguida, escreva o texto na área indica e submeta para correção. Em até 2 minutos sua redação do ENEM estará corrigida conforme as 5 competências do ENEM.

Por fim, após realizar as correções indicadas, atualize a análise para obter um novo resultado.

inteligencia artificial para corrigir redacao
CRIA: corretor de redação por inteligência artificial — Foto: CRIA.

Acompanhe seu progresso

Após enviar as redações, é possível acessar outra ferramenta disponível para os alunos do CRIA: o gráfico com histórico de pontuação.

Assim, por meio dele, é possível visualizar de maneira clara as competências que precisam de mais atenção.

grafico de correcao de redacao interativo
Gráfico de correção de redação interativo — Foto: CRIA.

A quem o CRIA se destina?

  • Para os professores, visamos diminuir a sobrecarga e otimizar a gestão da turma;
  • Para os alunos, tornarmos o processo mais ágil, divertido, incentivando a prática constante.

Vamos começar? Então cadastre-se agora.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Mais recentes

como e a redacao da uft

Como é a redação da UFT 2024/2?

A redação da UFT segue o padrão comum de muitos vestibulares, solicitando aos candidatos que produzam um texto dissertativo-argumentativo. A avaliação é baseada em cinco competências específicas, conforme detalhado no edital da instituição.

Leia mais »